Pecado Original



Meus olhos sacros me impedem de ver

O que carnais vontades revelam-me

Luxuriantes curvas profanas

Onde tua vontade impera

Razão dominada por instintos primários

Anseio pelo ato consumado

Teu sexo insolente regendo minha mente escrava

Peco!!

Que queime no mais profundo inferno

SIM,

Quero a maçã.

Abdico agora o paraíso prometido

Só para arder por um eterno momento

Em toda brasa de teu corpo incandescente

Comentários

Bernardo Lupi disse…
Que poema fantástico!!!
LadyM disse…
Delicioso. Faz-me louca por um anjo decaído desses...Hot kiss
novoteste disse…
Ops,esse foi fundo.Muito bom.Beijos.
DocePecado disse…
E é tão bom ser pecado não acha?
poetando disse…
Maravilhoso o seu blog. Desde já, visitante assíduo.
' LobaSerena ' disse…
Encantador teus escritos,parabéns,voltarei sempre.bjos
Roberto Ney disse…
quero ouvir tuas palavras horizontais,
e sentir meu corpo sangrar com suas doces mordidas, sofreria bem mais sem tua boca macia, sangraria bem mais sem tua leve alegria.
beijos